Cidades

Pedras que falam

Edição 67 — 21.11.2022 • 04.12.2022
Catedral da Guarda

A encantadora cidade da Guarda possui uma identidade forte que se faz de granito e de uma herança sólida. A imponente Catedral da Guarda destaca-se como o ícone maior da cidade, um testemunho vivo da força transformadora do Tempo. Locais autênticos com carácter.

A Catedral da Guarda

A Catedral da Guarda, que se ergue majestosa no centro da cidade, foi mandada erigir durante o reinado de D. João I, por iniciativa do bispo D. Vasco de Lamego. As obras, iniciadas em 1390, só foram concluídas no tempo de D. João III, arrastando-se por mais de 150 anos. Como resultado, a Sé tornou-se uma das igrejas mais emblemáticas de Portugal, com uma estrutura que cria a simbiose entre o gótico e o manuelino.

O edifício de granito destaca-se pelo seu aspecto fortificado, levantando-se imponente em direcção ao céu com os seus pináculos e contrafortes, que se entrecortam com os aprimorados elementos decorativos manuelinos.

No interior, não deixe de contemplar o magnífico retábulo-mor em pedra de ançã, executado pela oficina coimbrã de João de Ruão, obra maior da escultura erudita do período mais tardio do Renascimento. Devido à sua construção e à suas características estéticas, a Catedral da Guarda é, sem sombra de dúvida, um dos monumentos mais importantes em Portugal.

Um "navio de pedra", nas palavras do prestigiado filósofo Eduardo Lourenço.

A Judiaria

A Judiaria da Guarda é um dos recantos mais genuínos da cidade medieval.

Localizado dentro das muralhas da cidade , o antigo bairro judeu existe ainda hoje, perto da Porta D' El Rei. A comunidade judaica da Guarda foi durante muito tempo uma das mais importantes comunidades judaicas no país, e também uma das mais ancestrais.

Há evidências de que remonta ao século 13, quando o rei D. Dinis deu o foro às comunidades judaicas da paróquia de S. Vicente. Uma dessas famílias estava alojada na sinagoga. O bairro judeu começava perto Porta d' El Rei, que cobre o adro de S. Vicente, na fronteira com o pano da muralha da cidade e a Rua Direita, que conduzia a essa entrada. Este era o novo bairro judaico , uma continuação do anterior, sendo mencionado na Carta de 1199.

O centro histórico da cidade da Guarda ainda conserva traços do antigo bairro judeu . As casas tinham, em tempos mais remotos, apenas um andar. A partir do século XIV, as casas dos comerciantes tinham duas portas: uma mais ampla que conduzia à loja e uma menor que era a porta da residência. A sinagoga situava-se, inicialmente, num prédio alugado, mas mais tarde foi transferida para um edifício construído de raiz .

A Inquisição e perseguição religiosa ensombraram a tolerância tradicional da Guarda, que se vivia deste a ocupação da cidade, tal como sucedeu noutras cidades. No entanto, na área urbana que compreende o antigo bairro judeu e áreas adjacentes habitados por judeus , e mais tarde por cristãos novos , ainda subsistem marcas de cruzes nas portas - geralmente no lado direito. As cruzes eram um símbolo da cristianização das casas , mas também o testemunho do "mezuzah" que todo judeu deve tocar com a mão direita, enquanto murmura uma oração antes de entrar na casa.

Partilhe esta página
Comece a escrever para obter resultados
Edição 67
21.11.2022 • 04.12.2022
Edição 66
07.11.2022 • 20.11.2022
Edição 65
24.10.2022 • 06.11.2022
Edição 64
10.10.2022 • 23.10.2022
Edição 63
29.08.2022 • 11.09.2022
Edição 62
15.08.2022 • 28.08.2022
Edição 61
01.08.2022 • 14.08.2022
Edição 60
18.07.2022 • 31.07.2022
Edição 59
04.07.2022 • 17.07.2022
Edição 58
20.06.2022 • 03.07.2022
Edição 57
06.06.2022 • 19.06.2022
Edição 56
23.05.2022 • 05.06.2022
Edição 55
09.05.2022 • 22.05.2022
Edição 54
25.04.2022 • 08.05.2022
Edição 53
11.04.2022 • 24.04.2022
Edição 52
28.03.2022 • 10.04.2022
Edição 51
21.03.2022 • 27.03.2022
Edição 50
07.03.2022 • 13.03.2022
Edição 49
28.02.2022 • 06.03.2022
Edição 48
21.02.2022 • 27.02.2022
Edição 47
14.02.2022 • 20.02.2022
Edition 46
07.02.2022 • 13.02.2022
Edição 45
31.01.2022 • 06.02.2022
Edição 44
24.01.2022 • 30.01.2022
Edição 43
17.01.2022 • 23.01.2022
Edição 42
10.01.2022 • 16.01.2022
Edição 41
27.12.2021 • 02.01.2022
Edição 40
20.12.2021 • 26.12.2021
Edição 39
13.12.2021 • 19.12.2021
Edição 38
06.12.2021 • 12.12.2021
Edição 37
29.11.2021 • 05.12.2021
Edição 36
15.11.2021 • 21.11.2021
Edition 35
08.11.2021 • 14.11.2021
Edition 34
25.10.2021 • 31.10.2021
Edição 33
18.10.2021 • 24.10.2021
Edição 32
11.10.2021 • 17.10.2021
Edição 31
04.10.2021 • 10.10.2021
Edição 30
27.09.2021 • 03.10.2021
Edição 29
20.09.2021 • 26.09.2021
Edição 28
13.09.2021 • 19.09.2021
Edição 27
30.08.2021 • 05.09.2021
Edição 26
23.08.2021 • 29.08.2021
Edição 25
16.08.2021 • 22.08.2021
Edição 24
09.08.2021 • 15.08.2021
Edição 23
02.08.2021 • 08.08.2021
Edição 22
26.07.2021 • 01.08.2021
Edição 21
19.07.2021 • 25.07.2021
Edição 20
12.07.2021 • 18.07.2021
Edição 19
05.07.2021 • 11.07.2021
Edição 18
28.06.2021 • 04.07.2021
Edição 17
21.06.2021 • 27.06.2021
Edição 16
14.06.2021 • 20.06.2021
Edição 15
07.06.2021 • 13.06.2021
Edição 14
31.05.2021 • 06.06.2021
Edição 13
24.05.2021 • 30.05.2021
Edição 12
17.05.2021 • 23.05.2021
Edição 11
10.05.2021 • 16.05.2021
Edição 10
03.05.2021 • 09.05.2021
Edição 9
26.04.2021 • 02.05.2021
Edição 8
19.04.2021 • 25.04.2021
Edição 7
12.04.2021 • 18.04.2021
Edição 6
05.04.2021 • 11.04.2021
Edição 5
29.03.2021 • 04.04.2021
Edição 4
22.03.2021 • 28.03.2021
Edição 3
15.03.2021 • 21.03.2021
Edição 2
08.03.2021 • 14.03.2021
Edição 1
01.03.2021 • 07.03.2021